Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Núcleo do Castelo

O programa museológico do Castelo foi concebido – no âmbito do Programa de Recuperação e Animação do Castelo - como um circuito composto por vários espaços, que permite uma leitura histórica das diversas épocas e utilizações de que o monumento foi alvo, mas também uma interpretação da evolução da vila de Palmela e do concelho de que é sede.
Os espaços vão sendo instalados em zonas do monumento progressivamente reabilitadas do ponto de vista arquitetónico. O espaço central será a Casa Capelo, assim denominada por ter sido local de nascimento do explorador africano Hermenegildo Carlos de Brito Capelo (1841-1917).
 
Os espaços museológicos previstos no Núcleo do Castelo são os seguintes:
  • Espaço Arqueológico (a exposição atual, aberta em 1996, nas galerias da Praça de Armas, será requalificada) – leitura in situ da história da fortificação;
  • Ocupação Medieval e Reconquista – musealização da Torre de Menagem;
  • Casa Capelo - História de Palmela (concelho e sede) e da Ordem de Santiago (integrará, entre outras, a coleção de Escultura S. Tiago, atualmente em situação de Reserva Visitável, e parte da coleção arqueológica oriunda da fortificação e do Centro Histórico da Vila de Palmela);
  • Espaço de Transmissões Militares - aberto ao público em 1999, inclui espólio representativo dos meios de transmissão numa faixa cronológica que se estende do período islâmico à Guerra Colonial portuguesa.
Atualmente, encontram-se abertos ao público – como exposição permanente – os espaços Arqueológico, de Transmissões Militares e a Reserva Visitável S. Tiago, bem como a Igreja de Santiago.
  • Espaço Arqueológico

    No âmbito da implementação do Programa de Recuperação e Animação do Castelo – implementado pela autarquia desde 1990 -, realizaram-se intervenções arqueológicas no monumento com o objetivo de encontrar novas leituras para a vida da fortificação e de garantir o devido acompanhamento das obras de construção civil exigidas.

    Os achados estruturais que as escavações revelaram, impuseram – pela sua importância e qualidade documental - uma revisão do projeto arquitetónico previsto para as várias salas da Praça de Armas, como forma de garantir a conservação e integração dos vestígios arqueológicos in situ, cumprindo-se as funções divulgativa e pedagógica previstas no programa da autarquia.

    O espaço museológico resultante desta intervenção ocupa atualmente 4 galerias da Praça de Armas. Embora dedicado genericamente à arqueologia no concelho (salas 1 e 2), privilegia os vestígios e espólio encontrados no próprio castelo (salas 3 a 5) e na vila de Palmela, significativos da sobrevivência de influências islâmicas ao nível técnico e cultural até ao séc. XV.

  • Espaço de Transmissões Militares

    Em 1885, com a instalação no Castelo de um Heliógrafo para o serviço militar de transmissões telegráficas óticas, a telegrafia militar fica sediada neste edifício – conhecido como Casa dos Radiotelegrafistas - até à transferência em 1993, para a Serra da Arrábida, do último posto retransmissor que o Exército possuía em Palmela.

    A coleção exposta - maioritariamente oriunda do Museu da Arma de Transmissões do Exército Português - inclui espólio representativo dos meios de transmissão físicos e sonoros, visuais e óticos (destaque para a telegrafia ótica), elétrico-eletrónicos (material telefónico e telegráfico), manuais de instrução, material de linhas e de medida e ensaio, equipamento TSF e de feixes hertzianos. A faixa cronológica estende-se do período islâmico à Guerra Colonial portuguesa.

  • Igreja de Santiago

    A recuperação deste espaço para fins museológicos proporcionou uma renovada leitura histórica do monumento realçando uma das suas mais importantes funções.

    Localizada dentro da cerca primitiva do Castelo, a Igreja constitui um notável templo da 2.ª metade do século XV, classificado como Monumento Nacional em 1910.

    Sendo em si própria um objeto museal, a Igreja constitui também um lugar de excelência para realização de exposições monográficas, de artes plásticas, espetáculos musicais, palestras e atos protocolares.

    São visitáveis os espaços contíguos que dão acesso à Reserva Visitável de Escultura S. Tiago e ao relógio (tecnologia do séc. XVIII) da torre sineira.

  • Reserva Visitável S. Tiago

    A reserva visitável Escultura S. Tiago integra obras de estatuária antiga - sécs. XV, XVI e XVII - em pedra e madeira, de diferentes oficinas escultóricas. Aí encontramos diferentes formas de representar S. Tiago, patrono da Ordem Religiosa e Militar sediada no Castelo de Palmela entre os séculos XV e XIX.

    Propriedade do Museu Nacional de Arte Antiga - parte da Coleção Vilhena - este espólio está depositado no Museu Municipal de Palmela e exposto numa sala dos chamados Paços de D. Jorge e no Côro-Alto da Igreja de Santiago.

    A reserva pode ser visitada por grupos, com marcação prévia.

Município de Palmela © 2015 | Todos os direitos reservados