Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Medidas de Autoproteção e Prevenção

Com o objetivo de levar a população a desenvolver comportamentos adequados perante situações de emergência e ao mesmo tempo adquirir uma cultura de segurança, o Serviço de Proteção Civil disponibiliza uma série de medidas e procedimentos a adotar em caso de emergência.
  • Inundações

    Algumas inundações podem prever-se através da análise das condições meteorológicas, níveis de água nos rios e barragens, contudo, chuvas fortes e repentinas geralmente não dão tempo para avisar as populações.

    Para diminuir os prejuízos materiais, ou mesmo perdas humanas, quem vive numa zona de risco deve manter-se informado acerca dos procedimentos adequados que lhe permitam aumentar a segurança.

    Mantenha-se informado, principalmente se reside numa região habitualmente sujeita a inundações, e desenvolva as ações necessárias para a sua proteção, da família e bens e acompanhe o evoluir da situação junto das entidades competentes e pelos órgãos de comunicação social. É importante que tenha consigo um rádio a pilhas e que cumpra as indicações dadas.

    Antes da inundação
    • Identifique pontos altos onde possa refugiar-se.
    • Faça uma pequena lista de objetos importantes a levar em caso de evacuação.
    • Prepare um estojo de emergência com rádio e lanterna a pilhas, pilhas de reserva, material de primeiros socorros, medicamentos essenciais e agasalhos.
    • Tenha sempre uma reserva, suficiente para 2 ou 3 dias, de água potável e alimentos enlatados.
    • Mantenha a limpeza do quintal ou jardim, principalmente no Outono devido à queda de folhas.
    • Arranje um anteparo de metal ou madeira para a porta da rua.
    Durante a inundação
    • Seja prático. Mantenha a serenidade.
    • Procure dar apoio a quem mais necessite (crianças, idosos ou deficientes).
    • Desligue a água, gás e eletricidade.
    • Beba apenas água engarrafada.
    • Não coma alimentos que estiveram em contacto com a água da inundação.
    • Não ande descalço.
    • Não vá, só por curiosidade, aos locais mais atingidos.
    • A água pode esconder muitos perigos. Se tiver que andar através dela faça-o em segurança. Pode usar um chapéu-de-chuva, uma bengala ou um pau para o ajudar.
    • Não entre na enchente. Corre o risco de ser arrastado pela corrente.
    • Não utilize o carro numa zona de inundação. Pode ser arrastado.
    • Para pedir socorro utilize um pano, uma lanterna a pilhas, etc.
    • Não ocupe as linhas telefónicas. Use o telefone só em caso de emergência.
    Depois da inundação
    • Faça uma inspeção rápida à sua casa. Se ameaçar ruir, saia.
    • Se houve evacuação regresse só depois de lhe ser dada essa indicação.
    • Não toque em cabos elétricos caídos. Pode ficar eletrocutado.
    • Tenha especial cuidado com aparelhos elétricos ou a gás, se atingidos pela inundação. Chame um técnico para os examinar.
    • Verifique o estado das substâncias inflamáveis ou tóxicas que possa ter em casa.
    • Deite fora a comida (mesmo a embalada) e medicamentos se estiveram em contacto com a água da inundação.
    • Beba apenas água engarrafada ou fervida.
    • Comece as limpezas da casa pelas zonas mais altas.
    • Não ande descalço. Utilize calçado protetor (solas duras e antiderrapantes).
    • Facilite o trabalho das equipas de limpeza da via pública.
  • Sismos

    O sismo é um fenómeno natural, resultante de uma vibração mais ou menos violenta da crosta terrestre.
    Apesar de não se poder impedir ou prever os seus efeitos podem ser minimizados com comportamentos adequados. Manter a calma e saber agir pode marcar a diferença.

    Antes

    Prepare a sua casa

    • Liberte as saídas e os corredores de móveis e outros objetos.
    • Fixe as estantes ou móveis pesados, as garrafas de gás, os vasos e floreiras às paredes de sua casa.
    • Coloque os objetos mais pesados nas prateleiras mais baixas das estantes.
    • Não localize as camas perto de janelas ou debaixo de candeeiros. Cuidado com os vidros!
    • Tenha um extintor em casa. Aprenda a usá-lo e faça a revisão periódica.
    Durante

    Mantenha a CALMA!

    • Em casa ou num edifício
    • Dirija-se para um local seguro e mantenha-se afastado de janelas, espelhos, chaminés e outros objetos que possam cair.
    • Ajoelhe-se e proteja a cabeça e os olhos com as mãos.
    • Não se precipite para as saídas se estiver num andar superior do edifício. As escadas podem ficar congestionadas.
    • Nunca utilize os elevadores.
    • Se estiver na rua mantenha-se afastado dos edifícios altos, postes de eletricidade e outros objetos que possam cair. Dirija-se para um local aberto.
    • Se for a conduzir pare o veículo, longe de edifícios, muros, encostas, postes e cabos de alta tensão, e permaneça dentro dele.
    Plano de Proteção

    Os adultos e as crianças devem dialogar sobre o que fazer se ocorrer um sismo. Ensine às crianças como desligar a eletricidade, a água e o gás.

    Em casa ou num Edifício

    Locais mais SEGUROS

    • Vãos de portas, de preferência em paredes mestras.
    • Cantos das salas.
    • Debaixo de mesas, camas ou outras superfícies resistentes.

    Locais mais PERIGOSOS

    • Elevadores.
    • Junto a janelas, espelhos e chaminés.
    • No meio das salas.
    • Saídas.

    Tenha sempre à mão um estojo de emergência

    • Rádio a pilhas.
    • Lanterna a pilhas.
    • Pilhas de reserva.
    • Estojo de primeiros socorros.
    • Medicamentos essenciais.
    • Agasalhos.
    • Tenha sempre armazenado água e alimentos enlatados para 2 ou 3 dias.
  • Incêndios em casa

    A maioria dos incêndios em casa dá-se devido a problemas com a rede elétrica, rede de gás ou fontes de calor. A cozinha é o local onde muitos incêndios têm origem.

    Rede Eléctrica

    • Não faça reparações improvisadas.
    • Substitua os fios elétricos em mau estado.
    • Use fusíveis adequados.
    • Evite sobrecarga – não ligue demasiados aparelhos na mesma tomada, principalmente os de elevado consumo (ex: máquina de lavar roupa ou loiça e aquecedores).
    • Nunca apague com água um incêndio de origem elétrica.
    • Não aproxime água de instalações elétricas.

    Rede de gás

    • Faça a revisão periódica das tubagens. Para verificar se há fugas aplique água com sabão. Nunca utilize uma chama.
    • Se detetar alguma fuga chame de imediato um técnico qualificado.
    • Se cheirar a gás:
    • Não faça qualquer tipo de chama.
    • Não ligue nem desligue interruptores ou aparelhos elétricos.
    • Abra as janelas.
    • Feche as válvulas se segurança do contador e de corte do redutor.
    • Contacte de imediato um técnico qualificado.

    Fontes de calor

    • Afaste os aquecedores de móveis.
    • Não seque a roupa nos aquecedores.
    • Afaste os produtos inflamáveis de uma fonte de calor.
    • Guarde os líquidos inflamáveis em recipientes fechados e coloque-os em locais ventilados.
    • Proteja devidamente a lareira para que não se torne um foco de incêndio.
    • Não abandone velas acesas ou mal apagadas.
    • Nunca se esqueça do ferro de engomar ligado.

    Cozinha

    • Nunca saia de casa com o fogão ou esquentador ligado.
    • Não deixe, junto a janelas abertas, aparelhos a gás ligados.

    Se a gordura da frigideira se incendiar:

    • Desligue de imediato o gás.
    • Não retire a frigideira do fogão, isso só irá espalhar o fogo.
    • Use uma tampa, um prato ou uma toalha húmida para extinguir o incêndio. Não utilize água.
    • Mude periodicamente o filtro do exaustor.
    • Não avive as chamas do fogareiro com álcool, gasolina ou qualquer outro liquido inflamável.

    Fumadores

    • Não fume quando manipular produtos inflamáveis.
    • Não fume na cama ou no sofá se sentir sono.
    • Use cinzeiros grandes e estáveis.
    • Apague bem os cigarros antes de os deitar no lixo.
  • Gás

    Evite os acidentes em casa. O gás dos aparelhos domésticos ao ser queimado incorretamente, devido à má instalação ou deficiente regulação, pode levar à acumulação de monóxido de carbono, um gás tóxico. Tanto o gás canalizado como o de garrafa podem provocar asfixia e, quando misturados com o ar, dar origem a explosão ou incêndio.

    Regras de segurança na instalação, reparação e manutenção

    • Adquira apenas aparelhos a gás que estejam normalizados e certificados.
    • Recorra a técnicos qualificados para a instalação, reparação e manutenção dos aparelhos. Não faça improvisos.
    • Os tubos de borracha e braçadeiras de instalação devem ser adequados e substituídos periodicamente.
    • Mantenha limpas as chaminés e os exaustores.

    O que nunca fazer

    • Instalar esquentadores na casa de banho.
    • Sair de casa com o esquentador ligado.
    • Deixar o fogão em funcionamento quando se ausentar. O derrame de líquidos a ferver pode apagar os queimadores, mantendo-se a libertação de gás.
    • Pendurar roupa ou outros objetos nos tubos de gás.
    • Guardar as garrafas de gás em caves ou junto a fontes de calor.
    • Deitar as garrafas de gás. (Coloque-as sempre com o redutor para cima.)
    • Deixar aberta a válvula de segurança do contador (gás canalizado) ou do redutor (gás de garrafa), quando se ausentar.

    Se cheirar a gás

    • Corte imediatamente o fornecimento de gás, fechando a válvula ou o redutor.
    • Não ligue nem desligue interruptores ou equipamentos elétricos.
    • Se utilizar uma lanterna ligue-a e desligue-a no exterior.
    • Não fume. Apague qualquer chama.
    • Ventile o local, abrindo portas e janelas, até que o cheiro desapareça completamente.
    • Nunca procure uma fuga de gás com uma chama. Utilize água com sabão.

    Se houver chama

    • Nunca coloque a sua vida em perigo.
    • Se não correr risco retire do alcance das chamas tudo o que possa arder.
    • Corte imediatamente o fornecimento de gás, fechando a válvula ou o redutor.
    • Se necessário ligue para o 112 ou Bombeiros.
  • Incêndios Florestais
    Prevenção

    Os incêndios florestais são uma das principais catástrofes em Portugal. Constituem uma fonte de perigo para as pessoas e bens, além de provocarem danos ambientais. As causas são muito variadas, mas muitos dão-se por descuido humano.

    Nos dias mais quentes, com vento e humidade baixa, o risco de incêndio é maior. Aumente a sua atenção.

    As queimadas e os foguetes são causas de muitos incêndios florestais.

    • É proibido a realização de queimadas e queima de sobrantes nos espaços rurais durante o período crítico (compreendido, normalmente, de 1 de Julho a 30 de Setembro).
    • É proibido o lançamento, durante o período crítico, de quaisquer tipos de foguetes, de balões com mecha acesa e a utilização de fogo de artifício.

    A realização de queimadas só é permitida fora do período crítico e desde que o índice de risco de incêndio seja inferior ao nível elevado.

    Antes de fazer uma queimada peça a autorização à Câmara Municipal e informe-se das condições de segurança junto dos Bombeiros da sua área.

    • Não faça queimadas nas proximidades das florestas.
    • Diga aos seus vizinhos quando a vai fazer.
    • Durante a queimada tenha sempre à mão enxadas, pás, mangueiras e outras ferramentas.

    Se vive junto a uma área florestal

    • Limpe o mato à volta da sua habitação.
    • Separe as culturas com barreiras corta-fogo (por exemplo um caminho).
    • Guarde, em lugar seguro e isolado, a lenha, o gasóleo e outros produtos inflamáveis.
    • Afaste da madeira, papel, roupa ou outros materiais combustíveis, as velas e candeeiros a petróleo ou a gás.
    • Nunca deixe as crianças sozinhas em casa e fechadas à chave. Não as deixe brincar com fósforos ou isqueiros.

    Se for passear à floresta

    • Não deite fósforos ou cigarros para o chão.
    • Não deite pela janela do automóvel cinzas ou pontas de cigarro.
    • Leve a refeição preparada. Não acenda fogueiras.
    • As fogueiras só podem ser feitas nos locais próprios, e com os seguintes cuidados especiais:
    • Remova as folhas secas;
    • Ponha um círculo de pedras em redor do fogo;
    • Molhe bem o local à volta;
    • Mantenha por perto um recipiente com água;
    • Vigie-a atentamente;
    • Apague-a muito bem com água e terra;
    • Nunca faça fogueiras em dias de muito vento;
    • Não abandone lixo na floresta.
  • Espaços Públicos
    Regras de Segurança

    A grande aglutinação de pessoas pode, só por si, agravar o efeito de fenómenos como incêndios, sismos, queda de bancadas ou outros.
    O pânico pode originar reações inesperadas, e mesmo violentas. Tenha especial cuidado com esta ameaça, em espetáculos mas também noutros espaços públicos, como recintos desportivos, concertos, manifestações, festas populares, bares, discotecas, cinemas, teatros e centros comerciais.

    O que fazer ANTES?

    • Leve as crianças pela mão. Preste especial atenção aos idosos ou a quem apresenta alguma dificuldade, nomeadamente motora, visual ou auditiva.
    • Combine um ponto de encontro no exterior do recinto, para se reunir com quem vai acompanhado, caso se perca.
    • Observe se o local cumpre as regras de segurança necessárias para lá permanecer.
    • Se verificar que o local apresenta algum tipo de perigo retire-se, não vale a pena correr riscos.
    • Não assista aos espetáculos em lugares perigosos (ex.: telhados ou sentado em vedações).
    • Observe e memorize a localização das saídas, inclusive as de emergência.
    • Não lance para o ar garrafas ou outros objetos contundentes.
    • Para os recintos desportivos não é permitido levar objetos que possam pôr em risco a segurança dos espectadores (ex.: em vidro, pirotécnicos, incendiários, contundentes, facas ou canivetes e chapéus de chuva).

    O que fazer DURANTE?

    • Tranquilize quem se encontra junto a si.
    • Abandone o local calma e ordeiramente. Não corra; muitos acidentes graves dão-se porque as pessoas se empurram e atropelam.
    • Não se dirija para a saída mais utilizada pela multidão sem primeiro pensar se há outras mais seguras por onde possa sair.
    • Não bloqueie as saídas. Não fique parado junto a portas, escadas e corredores.
    • Em caso de incêndio nunca use os elevadores. Vá pelas escadas.
    • Avise os organismos de socorro, em situação de emergência pessoal ou coletiva.
    • Não grite nem fomente a violência. Se presenciar discussões ou atos de violência procure afastar-se do local. Não participe e informe as autoridades.
    • Siga as indicações das autoridades que se encontram no local para salvaguardar a sua segurança. Recorra a elas sempre que julgue necessário.

    O que fazer DEPOIS?

    • Saia do local ordeiramente se não tem um papel útil no local.
    • Colabore no que for necessário, mas não interfira no trabalho das equipas de socorro e de segurança.
    • Os primeiros socorros mal prestados podem ocasionar lesões ou agravar as já existentes.
    • Se não tiver preparação não mexa nas vítimas, a não ser que corram grave perigo se não o fizer (ex.: caso de incêndio, risco de queda ou esmagamento).
  • Medidas de autoproteção a adotar durante o lançamento de fogo de artifício

    Medidas a adotar pelo público

    • Não obstruir as vias de acesso e evacuação, especialmente as vias de emergência, sem prejuízo do uso das mesmas por pessoas com deficiência;
    • Não praticar atos violentos;
    • Não aceder às áreas de acesso reservado ou não destinadas ao público;
    • Observar as recomendações das forças de segurança.

    Medidas a adotar pelos moradores

    • Feche as janelas e varandas para evitar a entrada de qualquer foguete perdido;
    • Recolha a roupa para evitar que as possíveis faíscas possam provocar um incêndio;
    • Recolha os toldos das varandas;
    • Não se coloque diante dos artigos pirotécnicos acesos. Estes podem causar queimaduras e lesões oculares.

    Medidas a adotar em espaços públicos

    • Leve as crianças pela mão.
    • Combine um ponto de encontro no exterior do recinto, para se reunir com quem vai.
    • Se verificar que o local apresenta algum tipo de perigo retire-se, não vale a pena correr riscos.
    • Não assista aos espetáculos em lugares perigosos (ex.: telhados ou sentado em vedações).

    O que fazer em caso de acidente

    • Tranquilize quem se encontra junto a si.
    • Abandone o local calma e ordeiramente. Não corra.
    • Avise os organismos de socorro, em situação de emergência pessoal ou coletiva.
    • Não grite nem fomente a violência. Se presenciar discussões ou atos de violência procure afastar-se do local. Não participe e informe as autoridades.
  • Prevenção e controlo dos perigos associados a acidentes graves que envolvem substâncias perigosas

    O Decreto-Lei n.º 254/2007, de 12 de julho, que aprova o regime jurídico da prevenção e controlo dos perigos associados a acidentes graves que envolvem substâncias perigosas, transpondo para a ordem jurídica interna a Diretiva 96/82/CE, do Conselho, de 9 de dezembro de 1996, com a redação dada pela Diretiva 2003/105/CE, de 16 de dezembro de 2003, denominada Diretiva “Seveso II”, tem como objeto “a prevenção de acidentes graves que envolvam substâncias perigosas e a limitação das suas consequências para o homem e o ambiente, tendo em vista assegurar, de maneira coerente e eficaz, níveis de proteção elevados em toda a Comunidade”.

    Na sequência da aprovação do Plano de Emergência Externo da Hempel Portugal Lda., pela Comissão Nacional de Proteção Civil conforme Resolução nº9/2011 de 31 de maio, divulgam-se aqui as medidas de autoproteção a tomar e os comportamentos a adotar em caso de acidente.

    Medidas

Município de Palmela © 2015 | Todos os direitos reservados