Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Município de Palmela manifesta o seu pesar pelo falecimento de Rui Guerreiro

Ruig site 1 1024 2500
2020/03/27

A Câmara Municipal de Palmela manifesta o seu pesar pela morte de Rui Guerreiro, importante ativista cívico e cultural do Concelho de Palmela:

O Pinhal Novo, o Concelho de Palmela, a comunidade teatral, a cultura e o associativismo sofreram uma enorme perda com o falecimento, a 25 de março, de Rui Guerreiro, cofundador e Presidente da Direção do ATA – Acção Teatral Artimanha durante grande parte da sua história. Ocupava, atualmente, o lugar de Presidente da Mesa da Assembleia Geral desta companhia de teatro de Pinhal Novo e sucumbiu a doença prolongada, aos 62 anos de idade.

Fortemente ativo e participativo na vida da comunidade, frequentou, em 1981, com um grupo de jovens de Pinhal Novo, o Curso de Aperfeiçoamento Técnico de Teatro de Amadores, ministrado por Same Lutfi (Teatro Arena de S. Paulo) e supervisão de Alexandre Sousa. Após a formação, o grupo procurou dar continuidade à aprendizagem, recuperando o GATS (Grupo de Acção Teatral da S.F.U.A.), que se encontrava em pausa. Depois de uma itinerância de sucesso por todo o Concelho, em 1982/83, com um espetáculo da autoria de Sérgio Godinho, decidiram seguir um caminho autónomo e legalizar-se enquanto associação. Nascia, assim, a 28 de junho de 1983, o ATA – Acção Teatral Artimanha.

Este foi o início de um longo percurso ligado ao associativismo e à criação teatral, tendo Rui Guerreiro participado em múltiplos projetos artísticos como produtor, encenador e ator. As suas ideias, opiniões e interpretações enriqueceram muitas iniciativas e debates e a sua participação artística e cívica marcou a vida cultural do Pinhal Novo e do Concelho de Palmela. Foi, igualmente, uma voz ativa na defesa do Teatro noutros âmbitos e fóruns, caso da Federação Portuguesa de Teatro, em cujos órgãos sociais exerceu diversos cargos.

Projetos como o Festival de Teatro pela Paz, as “Noites de Verão” ou a “Queimada Mística”, entre muitos outros, contaram com o seu enorme contributo e empenho. Destaque para a sua participação ativa e incansável na Comissão Organizadora do FIG - Festival Internacional de Gigantes, projeto maior de afirmação e projeção da cultura de cariz popular e tradicional.

A permanente busca de conhecimento e aperfeiçoamento desta forma de arte levou-o a ingressar, em 2010, na Escola Superior de Teatro e Cinema, Ramo de Produção e Artes Cénicas, onde concluiu a Licenciatura em Direção e Produção Teatral.

Em 2018 o Município de Palmela reconheceu, formalmente, o trabalho e a dedicação de Rui Guerreiro à vida cultural da sua terra e o seu papel determinante no desenvolvimento teatral no Concelho, atribuindo-lhe a Medalha Municipal de Mérito – Grau Prata.

O seu falecimento na semana em que se assinala o Dia Mundial do Teatro carrega de maior tristeza o difícil momento que vivemos. Honrar a sua memória significa, mais do que nunca, continuar a pugnar pela defesa e o desenvolvimento das Artes e da Cultura.

A Câmara Municipal de Palmela lamenta profundamente o desaparecimento de Rui Guerreiro e endereça à sua família e às/aos companheiras/os do seu ATA, sentidas condolências.

Município de Palmela © 2015 | Todos os direitos reservados