Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Carta Arqueológica

Depois dos registos de campo de Marques da Costa e de outros arqueólogos, durante os finais do séc. XIX e a primeira metade do séc. XX, dos sítios identificados por C. Tavares da Silva e J. Soares nos anos 70-80, o primeiro levantamento sistemático de património arqueológico em território do concelho de Palmela foi levado a cabo em 1985, por Gustavo Marques, na freguesia da Marateca.

A partir de 1989, será o Serviço de Arqueologia da autarquia que assume a prospeção abrangente do território concelhio, com maiores avanços em 2005. Pontualmente, outros arqueólogos, inseridos em equipas de estudos de impacte ambiental ou a título particular, têm também identificado sítios e achados na região. Reconhecendo-se que um trabalho de inventariação e georreferenciação do património arqueológico nunca é um trabalho definitivo, ano após ano as prospeções têm oferecido novidades, revelando áreas de potencial riqueza em termos de vestígios da cultura material, que vão ajudando a definir a Carta Arqueológica do Concelho.

Hoje o património arqueológico assume-se como um recurso fundamental na gestão articulada do ordenamento do território e no desenvolvimento sustentado do concelho, um valor que importa salvaguardar, divulgar e disponibilizar à sociedade, um contributo indispensável para o entendimento da construção da identidade cultural de uma região.


Para consulta da Carta Arqueológica do Concelho de Palmela (atualização 2007) no site SIG da Câmara Municipal de Palmela clique aqui

Município de Palmela © 2015 | Todos os direitos reservados