Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Câmara de Palmela unida em homenagem às vítimas da queda de helicóptero do INEM

Pacos do concelho 1 1024 2500
27 Dezembro 2018

Na reunião de Câmara de dia 19 de dezembro, foram aprovados, por unanimidade, três votos de pesar pelas vítimas da queda de um helicóptero do INEM, a 15 de dezembro, perto de Valongo, entre as quais se encontrava o copiloto Luís Rosindo, de 31 anos, que cresceu em Palmela.
Transcrevem-se, abaixo, os textos integrais dos votos de pesar:

Voto de pesar CDU
(Luís Rosindo, Luís Vega, Daniela Silva e João Lima)

«No dia 15 de dezembro, Portugal viveu um dos mais trágicos acidentes de aviação da sua história, quando um helicóptero do INEM se despenhou numa zona de serra, perto de Valongo, vitimando os quatro ocupantes – um médico, uma enfermeira, o piloto e o copiloto, que regressavam à base, depois de mais uma missão de socorro.

O país tem acompanhado com tristeza o acidente, que atingiu quem, com amor e dedicação, trabalhava em prol da segurança, da saúde e do bem-estar das comunidades. A tragédia atingiu o concelho de Palmela com especial comoção, quando se confirmou que, entre as vítimas, estava um filho da terra – o copiloto Luís Rosindo, de 31 anos.

Luís Miguel Singéis Neto Rosindo, nascido a 15 de maio de 1987, era natural de Setúbal e desde muito novo residiu em Palmela, com a família. Integrou todos os escalões de formação do Palmelense Futebol Clube, onde foi seguido como um exemplo entre os seus pares, pelo seu companheirismo e espírito de entreajuda, sendo capitão de equipa de todos os escalões que integrou.

Desde cedo, acalentou o sonho de voar. Em 2006, ano em que concluiu o 12.º ano, na Escola Secundária de Palmela, ingressou na Força Aérea Portuguesa, tendo ganho “as suas asas” (brevet de piloto) a 29 de setembro de 2009. Efetuou a sua formação de piloto de helicópteros na Base Aérea n.º 2, na Ota, e na Base Aérea n.º 11, em Beja, sempre enquanto chefe de curso, tendo sido, posteriormente, destacado para a Esquadra 751 (equipa de resgate e salvamento da Força Aérea), na Base Aérea n.º 6, no Montijo, onde prestou serviço até 2016. Nesse mesmo ano, ingressou na empresa Babcock Mission Critical Services Portugal, que presta serviço ao INEM, onde permaneceu em missão até ao acidente.

Reconhecido por quem com ele privou como um ser humano de exceção, pela sua vontade de ajudar o próximo, pelo seu companheirismo, sorriso fácil e boa disposição, o desaparecimento de Luís Rosindo é, sem dúvida, uma enorme perda para o concelho e para o país.

Da equipa que seguia no aparelho, faziam parte, também, o médico Luís Vega, de 50 anos, natural da Corunha, Espanha, a enfermeira Daniela Silva, de 34 anos, natural de Baltar, onde era voluntária no corpo de Bombeiros, e o piloto João Lima, de 55 anos, natural de Viseu, com larga experiência em voos de emergência e combate a incêndios.

Reunida na Biblioteca Municipal de Palmela, a 19 de dezembro, a Câmara Municipal de Palmela expressa o seu profundo pesar pelo desaparecimento de Luís Miguel Singéis Neto Rosindo, Luis Vega, Daniela Silva e João Lima e expressa as suas condolências às respetivas famílias e amigas/os, bem como ao Instituto Nacional de Emergência Médica, à empresa Babcock MCSP e ao Corpo de Bombeiros de Baltar».

Voto de pesar PS
Ao INEM e famílias das vítimas da queda do helicóptero do INEM

«O trágico acidente ocorrido na tarde do passado sábado, dia 15 de dezembro de 2018, com a queda do helicóptero do INEM no norte do país, durante o regresso à base de uma missão de socorro, vitimou quatro “heróis da emergência médica”: a enfermeira Daniela Silva, o médico Luís Vega, o piloto João Lima e o copiloto Luís Rosindo, que foi piloto na Força Aérea e que estava na empresa Babcock desde setembro de 2016. Sobre o Luís Rosindo, recordamos a sua ligação a Palmela, vila que o viu crescer. Tendo sido criado em Palmela, frequentou o infantário do Centro Social de Palmela, a Escola Secundária de Palmela, o Palmelense Futebol Clube, entre outros. Por isso, também Palmela sente a perda deste jovem promissor, que dizia “Treina as pessoas bem o suficiente, de modo a elas poderem seguir o seu percurso. Trata-as bem o suficiente para elas não o quererem fazer".

Reunida a 19 de dezembro de 2018, em sessão ordinária, a Câmara Municipal de Palmela expressa o seu pesar e apresenta as sinceras condolências ao INEM e às famílias dos falecidos neste trágico acidente».

Voto de pesar PSD/CDS-PP

«Luís Rosindo faleceu no passado sábado (15 de dezembro), aos 31 anos de idade, na queda de um helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), quando regressava à base, em Macedo de Cavaleiros, depois de ter participado num serviço de urgência de transporte de uma doente com problemas cardíacos, de 76 anos, para o Hospital de Santo António, no Porto.

Luís Rosindo deixou-nos precocemente, depois de uma vida dedicada ao desporto (praticante de crossfit e halterofilismo) e à proteção dos animais. Todavia, era na proteção de pessoas que estava a sua vocação, primeiro como nadador-salvador, depois como copiloto, ao serviço do INEM. Era um homem de causas, que acabou por perder a vida a ajudar o próximo.

Nesta hora de luto, a Câmara Municipal de Palmela, reunida em 19 de dezembro de 2018, presta sentida homenagem à memória de Luís Rosindo e endereça os mais sentidos votos de condolências à família e amigos».

Município de Palmela © 2015 | Todos os direitos reservados